Client Fábrica de processamento de alimentos

Location EUA

Segmentos Manufatura

O desafio

Testar uma nova alternativa ao CO2

O dióxido de carbono (CO2) é um excelente refrigerante para utilizar no processamento de alimentos. É ecológico e não é tóxico nem inflamável. Historicamente, também tem sido acessível e fácil de obter, sendo um subproduto natural das refinarias de gás. Mas quando as refinarias fecham, os negócios locais podem acabar por ter de pagar o dobro por um fornecimento que é bem menos fiável.

Um dos nossos clientes deparou-se exatamente com esse problema. Ao fim de dois anos de problemas com o abastecimento e de períodos de indisponibilidade dispendiosos, decidiram testar um refrigerante diferente. Isto implicaria remodelar alguns dos seus processos de forma rápida e económica, mantendo, ao mesmo tempo, a fábrica em funcionamento.

Optaram por testar uma solução de propilenoglicol num processo secundário em funcionamento em paralelo aos processos existentes. A nossa função era conceber um sistema de testes temporário que os ajudasse a decidir se deveriam ou não investir num novo processo de refrigeração. O cliente deu-nos três objetivos: testar um novo fluido refrigerante sem abrandar a produtividade, apurar as melhores formas de poupar dinheiro no processo de refrigeração e evitar causar danos em quaisquer mercadorias enquanto efetuávamos os testes.

Ficha informativa do projeto

CO2

O fornecimento estava a tornar-se caro

30 toneladas

Capacidade do sistema de testes do propilenoglicol

80 %

De CO2 substituído com sucesso

> $600 000

Custos poupados por ano

A solução

Criação de um sistema de testes paralelo 

Este projeto requeria uma equipa que conhecesse a engenharia de processos ao pormenor. Por isso, chamámos os Serviços de Processo Aggreko (APS), um departamento que criámos especificamente para este tipo de trabalho. Trabalhando em estreita colaboração com a equipa no local, eles conceberam um sistema de testes, incluindo um refrigerador de 30 toneladas a baixa temperatura, para evitar a deterioração do glicol, juntamente com permutadores de calor adequados a refinaria, um depósito de água, uma bomba e os acessórios relevantes. Ao longo do projeto, os nossos engenheiros APS passaram muito tempo no local, a planear e a configurar os sistemas, bem como a analisar o desempenho e a afinar os sistemas sempre que necessário.

a diferença Aggreko

É possível reconhecer os clientes da Aggreko. Vão-se embora sempre satisfeitos.

O impacto

Uma transição tranquila, que poupa até $800 000 por ano

O teste foi um sucesso, ajudando a fábrica a fazer a transição para o processo do glicol sem quaisquer problemas. Ao longo de um período de dois meses, a fábrica substituiu 80% do CO2 no processo de manufatura, poupando entre 600 000 e 800 000 dólares por ano.

"Os Serviços de Processo Aggreko existem exatamente para este tipo de projeto. Não é um salto assim tão grande quando sabemos que contamos com uma equipa de especialistas que acerta em todos os pormenores." 

Tem alguma dúvida ou quer falar com a Aggreko?

Te ajudaremos a encontrar o que precisa