Client Refinaria do Midwest

Location EUA

Segmentos Petroquímica e Refinaria

O desafio

Enorme fatura de danos derivados de hidrocarbonetos pesados 

É incrível a quantidade de danos que alguns hidrocarbonetos pesados podem causar. Uma refinaria no Midwest que já somava perdas de 50 milhões de dólares estava desesperada por solucionar um problema persistente no seu circuito de reciclagem de gás. 

Tratava-se de um problema complicado: a temperatura no separador de baixa pressão não era a adequada e não cumpria a sua função de separar os hidrocarbonetos e o hidrogénio da nafta-hidrogénio atualizado. A temperatura mais quente impedia os hidrocarbonetos mais pesados de condensarem, o que, por sua vez, causava dores de cabeça a jusante. A refinaria tinha experienciado tempos de indisponibilidade significativos, com enormes perdas de lucros.

Ficha informativa do projeto

$50 milhões

Perdas já acumuladas

90%

Redução na temperatura de admissão

13%

Acima da capacidade de funcionamento alvo projetada

A solução

Glicol refrigera hidrocarbonetos à hora certa, no sítio certo

A refinaria precisava de condensar os hidrocarbonetos mais pesados no separador, em vez de o fazer nas tubagens a jusante.

Deitámos mãos à obra para criar um sistema para pôr a refinaria novamente a funcionar. Usámos o permutador existente, mas em vez de utilizar água de refrigeração da fábrica, usámos a nossa própria solução de glicol de recirculação de um refrigerador arrefecido a ar. Esta solução suportaria facilmente as alterações sazonais na temperatura ambiente que haviam anteriormente causado o caos na condensação.

a diferença Aggreko

Superámos o desafio de resolver problemas de refrigeração complexos em espaços únicos.

O impacto

Excelentes ganhos de refrigeração, fim das perdas monetárias 

O gás que entrava no separador era refrigerado de cerca de 250 °F (121 °C) até uns frescos 40 °F (4,4 °C) numa capacidade de funcionamento projetada de 4,3 milhões de unidades térmicas britânicas (BThU) por hora. A nossa capacidade máxima de 4,87 milhões de unidades térmicas britânicas por hora era 13 por cento superior à capacidade de funcionamento projetada. Os hidrocarbonetos puderam condensar e ser captados antes de se deslocarem para jusante, sem prejudicar outros sistemas. 

No geral, isto significou que a refinaria evitou danos adicionais ao seu circuito de reciclagem de gás, pondo fim às pesadas faturas de manutenção. A nossa refrigeração também ajudou a melhorar o rendimento do separador de baixa pressão, para este poder cumprir melhor a sua função de purificar a nafta-hidrogénio melhorada.

"A conceção de sistemas otimizados para os diferentes gases que circulam numa refinaria implica muitos conhecimentos e, na Aggreko, temo-los em abundância."

Tem alguma dúvida ou quer falar com a Aggreko?

Te ajudaremos a encontrar o que precisa