Client Unidade de processamento alimentar

Location EUA

Segmentos Alimentos e Bebidas

O desafio

Perante a escassez de CO2, era necessário um novo refrigerante 

Durante mais de uma década, a fábrica de processamento de alimentos dependera de CO2 para refrigeração a baixa temperatura. O CO2 é um refrigerante muito popular na indústria alimentar: é ecológico, não tóxico e não inflamável. Até recentemente, era também pouco dispendioso. No entanto, este composto, geralmente fornecido como subproduto das refinarias de gás, estava a tornar-se escasso devido a encerramentos das refinarias locais. A escassez fazia aumentar o preço e afetava o fornecimento.

A fábrica precisava de mais um meio de refrigeração seguro. Pretendiam experimentar o propilenoglicol, mas não queriam uma queda na produtividade, nem arriscar danificar os produtos atualmente armazenados nos seus refrigeradores. Precisavam de um sistema de testes fiável. 

Ficha informativa do projeto

2 meses

Duração do teste

Até 800 000 dólares

Poupança anual

80 por cento

CO2 substituído

A solução

Permutadores de calor e um refrigerador de 30 toneladas passam no teste 

Fomos chamados para ajudar a testar a solução de propilenoglicol em paralelo ao processo existente. Este sistema de testes temporário iria pôr o propilenoglicol à prova antes de a empresa fazer o investimento num novo equipamento de refrigeração.

Durante os dois meses de testes, foi necessário manter o glicol num intervalo de temperaturas específico, o que foi possível utilizando permutadores de calor adequados a refinaria e um refrigerador de 30 toneladas para baixas temperaturas, capaz de atingir -15 °F (-26 °C). Também fornecemos todo o equipamento que seria necessário: depósito de água, bomba e acessórios.

a diferença Aggreko

O nosso equipamento pode ser adaptado para responder às necessidades específicas de diferentes clientes.

O impacto

Uma poupança anual de 800 000 dólares 

O teste ao propilenoglicol recebeu o selo de aprovação e deu à empresa de processamento de alimentos a confiança necessária para substituir 80% do CO2 que utilizava. Tal permitiu poupanças anuais estimadas entre 600 000 e 800 000 dólares.  

Além da poupança significativa, a mudança também proporcionou excelentes resultados à empresa. Mesmo perante a diminuição do fornecimento de CO2, podiam manter os níveis máximos de produtividade com um meio de refrigeração mais facilmente disponível. Mais importante ainda, os alimentos que produziam podiam ser armazenados com segurança à temperatura ideal.

"Trabalhámos em estreita colaboração com este cliente para conceber um sistema de testes que pudesse ser usado juntamente com os seus sistemas existentes, perturbando assim ao mínimo a sua produtividade."

Tem alguma dúvida ou quer falar com a Aggreko?

Te ajudaremos a encontrar o que precisa