15 Jul 2019

Antecipar os problemas do seu AVAC envelhecido

Rede de empreiteiros mecânicos
 

O controlo climático é uma necessidade para quase todos os edifícios, querem sejam residenciais, comerciais ou industriais. Caso não se consiga manter tudo aquecido ou refrigerado, pode ocorrer perda de produtividade, mercadoria e equipamento danificado e até mesmo encerramentos. Isso torna essencial que tenha instalado um sistema de AVAC avançado.

Nenhum sistema, por muito impressionante que seja, consegue durar para sempre. Por isso, o que acontece quando os componentes individuais e os aparelhos começam a envelhecer? Como sabe quando deve substituir e quando deve reparar? E como pode prolongar a vida útil do seu sistema de AVAC para impedir o inevitável? 

Qual é a função do sistema de AVAC? 

Os sistemas de Aquecimento, Ventilação e Ar Condicionado (AVAC) disponibilizam transferência de calor, termodinâmica e princípios de mecânica de fluidos para todos os tipos de finalidades de controlo da temperatura, incluindo aquecimento e refrigeração de conforto, impedir o sobreaquecimento dos centros de dados e do equipamento em salas de controlo, eliminar o ar parado e fazer circular ar fresco num edifício.

O termo AVAC abrange tudo, desde os nossos aparelhos de ar condicionado domésticos até aos sistemas enormes e complexos instalados em escritórios, hospitais, escolas e edifícios industriais. 

Como evoluíram os sistemas de AVAC ao longo do tempo?

O ar condicionado moderno foi inventado em 1902, quando Willis Carrier criou os planos para um sistema que iria refrigerar salas de produção na gráfica em que trabalhava, impedindo assim que os livros ficassem danificados. 

Estas versões iniciais funcionavam ao fazerem circular água fria em vez de água quente através de bobinas de aquecedor, refrigerando o ar que passava sobre as mesmas. Ao longo do tempo, os designs melhoraram à medida que os refrigerantes foram substituindo a água fria, os ares condicionados e a ventilação e tubagens associadas foram diminuindo de tamanho, os aparelhos se foram tornando muito mais energeticamente eficientes e os químicos que destroem a camada de ozono foram sendo substituídos por refrigerantes mais ecológicos. 

Recentemente, a Internet das Coisas e as tecnologias associadas foram criadas e utilizadas para controlo climático remoto, utilização inteligente de energia e monitorização do desempenho. Os sistemas de AVAC atuais são nitidamente mais baratos de utilizar e consomem muito menos energia do que nunca. 

Como são configurados os sistemas de AVAC atuais? 

Os sistemas de AVAC atuais em grandes edifícios utilizam um compressor para aumentar a pressão e a temperatura do refrigerante. Em seguida, o compressor injeta ar quente do exterior sobre o condensador para o tornar liquido, antes de a válvula de expansão alterar o refrigerante para um líquido de baixa pressão e frio. O evaporador transfere calor, transformando o líquido frio num gás suficientemente quente para ser circulado. 

A forma como isso é configurado depende de vários fatores, em particular: se é utilizada eletricidade ou gás para alimentar os elementos de aquecimento, o tipo de refrigerante, se é fornecido calor ou refrigeração através de ar canalizado ou do sistema de água e se está ou não instalado num sistema de ventilação dedicado. 

Consoante o edifício, o sistema pode incluir também torres de refrigeração, refrigeradores, caldeiras, radiadores e bombas de calor para extrair o calor do ar ou da água e/ou aparelhos do telhado que canalizam o ar condicionado para o espaço no interior do edifício.

Estes sistemas funcionam utilizando unidades de tratamento do ar ligadas a canalização que distribui calor e ar fresco por todo o edifício ou podem ser um conjunto de sistemas mais pequenos que funcionam separadamente, tais como ventilação mecânica, radiadores para aquecimento e unidades de refrigeração de conforto distribuídas por toda a zona. A maioria tentará incluir formas “passivas” de ventilação, reduzindo a sua utilização de energia e os custos associados.  

O que acontece à medida que vão envelhecendo?

À medida que os refrigeradores, as unidades de tratamento do ar, os ares condicionados e outros aparelhos de AVAC vão encelhecendo, tornam-se menos fiáveis. Com uma manutenção adequada, os sistemas de AVAC estão concebidos para durar entre 10 e 30 anos, sendo os 20 anos a média antes de começarem a avariar. 

Para dar uma perspetiva mais profunda, existem quase 6000 hospitais registados nos EUA, com mais de 900.000 camas e um orçamento combinado de quase $1 bilião. É uma infraestrutura de AVAC imensa que contribui para a saúde e bem-estar desta nação e, se estes começarem a avariar, poderá ver rapidamente os efeitos negativos que ocorrem. 

Quando o custo de manutenção proativa ou de reparações de emergência ultrapassa os 5% do custo de substituição do aparelho, tem de pensar cuidadosamente sobre se seria mais económico optar simplesmente por um aparelho novo.

Isso não se deve apenas ao facto de ter de pagar 20 intervenções de reparação. É também porque, enquanto estiver limitado a utilizar aparelhos de eficiência inferior, o seu desempenho também estará provavelmente a reduzir, fazendo aumentar os seus custos de energia. Se depende do AVAC para operações vitais para o negócio, adiar demasiado as coisas pode dar origem a cortes imprevistos e encerramentos dispendiosos.

Isso também se aplica a componentes de pequena escala que ligam partes de um sistema grande e complexo. O AVAC depende normalmente dos seus sistemas elétricos e/ou de canalização e, por isso, quaisquer problemas com cablagem defeituosa, equipamento elétrico desatualizado ou canos negligenciados que comecem a apresentar fugas ou rebentem podem provocar o caos total.

No entanto, a substituição de aparelhos ou sistemas antigos pode ser uma grande dor de cabeça, especialmente se estiverem enterrados no subsolo, instalados em telhados ou, de outra forma, forem de acesso difícil. Se estes tiverem sido ignorados durante décadas, também pode ter teias de cablagem ou canalização antiga à sua volta, fazendo com que seja difícil encontrar o componente certo sem causar danos!

O que posso fazer?

A chave aqui é a manutenção preventiva. Mantenha a vigilância sobre o sistema de AVAC do seu edifício, realizando auditorias regulares para verificar se todo o equipamento ainda está adequado para a sua finalidade, ou se precisa de substituir componentes. 

Em primeiro lugar, observe a bomba de água, as drenagens e os compressores. São muito antigos? Parece que estão a chegar ao fim da sua vida útil? 

Para minimizar o risco de a água danificar o edifício, crie um programa de manutenção e inspeção do equipamento, baseado em tarefas e requisitos mensais, sazonais ou anuais. 

Além disso, não se esqueça de compilar informações sobre quando foi instalado cada componente do AVAC (e qual é a data da respetiva substituição), especificações para cada item de equipamento (com modelo e número de série), ficheiros de registo do histórico do equipamento (incluindo datas de instalação e reparações), uma lista de peças sobresselentes de que possa precisar e onde as adquirir, relatórios de calibragem de ar e especificações de fluxo de ar, juntamente com esquemas técnicos e locais de operação do sistema para os sistemas de canalização, mecânico e elétrico associados. 

Se tiver muito equipamento envelhecido, pense cuidadosamente sobre se seria mais económico a longo prazo atualizar todo o sistema em simultâneo ou recorrer a equipamento de aluguer altamente eficiente em vez de investir num equipamento novo e dispendioso.

Quer opte pela via da atualização, aluguer ou manter cuidadosamente o seu sistema existente, o mais importante é que aja no início para resolver os problemas com o AVAC do seu edifício. Isso ajuda a evitar falhas catastróficas de equipamento, reduzindo os seus custos de operação diários. Vale mesmo a pena investir agora!