Entre em contato

Ligação gratuita 0800 726 2244

SOLICITE UM ORÇAMENTO

Cliente Usina de processamento de alimentos

Local EUA

Setores Alimentos e Bebidas

O desafio

Com a escassez de CO2, um novo refrigerante era necessário 

Por mais de uma década, uma fábrica de processamento de alimentos dependia de CO2 para refrigeração a baixa temperatura. O CO2 é um refrigerante popular na indústria de alimentos. É ecológico, não tóxico, não inflamável e, até recentemente, também era barato. No entanto, o composto, que é comumente obtido como um subproduto das refinarias de gás, estava ficando escasso devido aos desligamentos de refinarias locais e a escassez estava elevando o preço e afetando a oferta.

A fábrica precisava de um meio de resfriamento mais confiável. Eles queriam testar o propilenoglicol, mas não queriam uma queda na produtividade nem correr o risco de danificar as mercadorias atualmente armazenadas em seus frigoríficos e precisavam, portanto, de um sistema de testes confiável. 

Arquivo de informações do projeto

2 meses

Duração do teste

Até US$ 800.000

Economia anual

80 %

CO2 substituído

A solução

Permutadores de calor e resfriador de 30 toneladas passam no teste 

Fomos chamados para ajudar a testar a solução de propilenoglicol em um fluxo do processo atual. Este sistema de testes temporário colocaria o propilenoglicol à prova antes que a empresa fizesse um investimento de capital em novos equipamentos de refrigeração.

Durante o teste de dois meses, tivemos que manter o glicol a uma faixa de temperatura específica, o que conseguimos usando permutadores de calor de refinaria e um resfriador de processo de baixa temperatura de 30 toneladas capaz de atingir -15 °F (-26 °C). Fornecemos também todo o equipamento de que eles precisariam: tanque de água, bomba e acessórios.

o diferencial da aggreko

Nossos equipamentos podem ser adaptados às necessidades específicas dos diferentes clientes.

Nosso diferencial

O impacto

Economia anual de US$ 800.000 

O teste de propilenoglicol foi aprovado, dando à empresa de processamento de alimentos a confiança necessária para substituir 80% do CO2 utilizado. Isso representou cerca de US$ 600.00 a US$ 800.000 de economia anual.  

Além da grande economia de custos, a mudança proporcionou ótimos resultados para a empresa. À medida que o fornecimento de CO2 foi reduzido, eles puderam manter o pico de produtividade usando um meio de resfriamento disponível mais facilmente. Mais importante do que isso, os alimentos produzidos poderiam ser armazenados com segurança na temperatura perfeita.

“Trabalhamos em estreita colaboração com esse cliente para criar um sistema de testes que funcionasse com seus sistemas existentes para obter o mínimo de interrupção em sua produtividade.”

Tem alguma dúvida ou quer falar com a Aggreko?

Te ajudaremos a encontrar o que precisa